Mês: agosto 2015

Um sonho jamais esquecido…

E naquela noite, a senhora apareceu pra mim, Seu cabelo negro como a noite batia em seus joelhos, seu vestido era azul mas o corpo não era tão curvilíneo como a pintura dizia! Estávamos sob o penhasco, lá embaixo, as ondas reverberavam contra as rochas, os murmúrios das águas chegavam aos nossos ouvidos como canção sagrada e antiga, canção sobre a vida, o amor, a esperança e a fé…A lua estava cheia e majestosa e absoluta no céu…
Eu lhe apontei o céu em direção às trÊs Marias e disse que elas eram minhas estrelas…
A senhora disse não! Me apontou uma constelação invísivel ao olhos mortais, e lá estava ela, a espada de São Jorge, e a senhora me disse que era sobre a proteção dela que eu estava!!

iemanja a

Odò ìyá! Minha mãe!

Anúncios