Mês: agosto 2011

…Agora eu tenho “inta”…..

Bom já tenho “inta”…e agora???
Não sei bem o que esperar dessa “nova fase”.
Ainda me sinto em muitos momentos, adolescente e em vários, uma menina.
Tenho meu lado fútil com psicose por sapatos diferentes e esmaltes flocados e holográficos (*.*), gosto de desenhos, compro mangás, gosto de ler livros teens e tenho uma eterna batalha como meu cabelo. (ele ainda não se recuperou daquela maldita progressiva mal-feita e ainda nem é cacheado nem liso ¬¬’).
Achei que quando chegasse nos “inta” eu me sentiria uma “mulher”(se é que entendem o sentido dessa palavra), mas o que sinto nesse exato momento é que eu sou eu mesma…O.ô
O que sei é que me decepcionei um pouco com esta idade…Quando tinha uns 10 anos mais ou menos, achei que quando chegasse nos “inta” já seria uma grande executiva, com uma carreira sólida, com uma linda casa, um marido excepcionalmente lindo e maravilhoso e com uns 4 ou 5 belos rebentos…bom…. não tenho nada disso…
Minha carreira ainda está engatinhando, tenho planos e estou caminhando… moro com minha mãe e nem peguete eu tenho quem dirá um marido excepcionalmente lindo e maravilhoso (acho que esse só em sonho mesmo porque homem bom ainda não conheci nenhum).
Me pergunto… será que sou uma fracassada???
Será que não alcançar o sonho de infância nos torna perdedores??
Ou será que o sonho muitas vezes são padrões que nos são impostos inconscientemente pela sociedade e sem querer você acaba querendo o que os outros querem pra você???
Não sei…
É algo que estou pensando e analisando antes de tirar qualquer conclusão…

Anúncios

Sobre solidão, vazio e vida….

Sexta estava eu com uma amiga do trabalho a Tammy,(aquela mesma que tem 21 anos e tem uma maturidade excepcional e uma lucidez incrível) num buteco xexelento do Portal, tomando cerveja e comendo porção de calabresa e bolo(!) e como sempre começamos a filosofar. Eu estava falando sobre o abismo de solidão que existe em mim.
Falar de solidão é um pouco complicado. Falar desse sentimento que tenho é complicado e difícil de explicar… às vezes nem eu entendo.
Contei pra ela sobre como estou incomodada com isso.
O que acontece é que, eu tenho amigos. Tenho pessoas maravilhosas que sempre estão ali comigo, e eu compartilho momentos maravilhosos com eles.
Mas quando eu sozinha… comigo mesma… sinto esse abismo…essa solidão…
Não que eu não goste de estar comigo… não que eu não goste de ficar sozinha com meus pensamentos e filosofices…
Essa minha amiga não concordou com a minha conclusão quando eu disse que achava que estava vivendo a vida dos outros. Que tinha a sensação de que a vida só existia quando estava com eles. Cada momento, cada cinema, cada telefonema, cada risada que eu tinha com eles, cada visita, cada shopping, cada livro e cada música.
Aqueles momentos são fragmentos de vida que eu tenho. A impressão que eu tenho é que a vida acontece pra mim quando estou com eles.
Isso me incomodou um pouco. Porque não tenho “as minhas coisas pra fazer”…
Talvez isso seja a falta de um amor… Aqueeeele “amor”…
Ela disse que não concordava comigo porque eu tinha sim minhas coisas…
Estava super envolvida com a dança, com a música, com os estudos… e assim eu vivia “as minhas coisas”…
Não sei exatamente o que concluir disso… o fato é que eu gostaria de tirar essa sensação de mim…