Mês: agosto 2008

Adoro esse cara!!!

 

Relacionamentos, por Arnaldo Jabor
 
Sempre acho que namoro, casamento, romance tem começo, meio e fim. Como tudo na vida. Detesto quando escuto aquela conversa:
– ‘Ah, terminei o namoro… ‘
– ‘Nossa, quanto tempo?’
– ‘Cinco anos… Mas não deu certo… Acabou’
– É não deu…?
Claro que deu! Deu certo durante cinco anos, só que acabou.
E o bom da vida, é que você pode ter vários amores.
Não acredito em pessoas que se complementam. Acredito em pessoas que se somam.
Às vezes você não consegue nem dar cem por cento de você para você mesmo, como cobrar cem por cento do outro?
E não temos esta coisa completa.
Às vezes ele é fiel, mas não é bom de cama.
Às vezes ele é carinhoso, mas não é fiel.
Às vezes ele é atencioso, mas não é trabalhador.
Às vezes ela é malhada, mas não é sensível.
Tudo nós não temos.
Perceba qual o aspecto que é mais importante e invista nele.
Pele é um bicho traiçoeiro.
Quando você tem pele com alguém, pode ser o papai com mamãe mais básico que
é uma delícia.
E às vezes você tem aquele sexo acrobata, mas que não te impressiona…
Acho que o beijo é importante… E se o beijo bate… Se joga… Se não bate… Mais um Martini, por favor… E vá dar uma volta.
Se ele ou ela não te quer mais, não force a barra.
O outro tem o direito de não te querer.
Não lute, não ligue, não dê pití.
Se a pessoa ta com dúvida, problema dela, cabe a você esperar ou não.
Existe gente que precisa da ausência para querer a presença.
O ser humano não é absoluto. Ele titubeia, tem dúvidas e medos, mas se a pessoa REALMENTE gostar, ela volta.
Nada de drama.
Que graça tem alguém do seu lado sob chantagem, gravidez, dinheiro, recessão de família?
O legal é alguém que está com você por você.
E vice versa.
Não fique com alguém por dó também.
Ou por medo da solidão.
Nascemos sós. Morremos sós. Nosso pensamento é nosso, não é compartilhado.
E quando você acorda, a primeira impressão é sempre sua, seu olhar, seu pensamento.
Tem gente que pula de um romance para o outro.
Que medo é este de se ver só, na sua própria companhia?
Gostar dói.
Você muitas vezes vai ter raiva, ciúmes, ódio, frustração.
Faz parte. Você namora um outro ser, um outro mundo e um outro universo.
E nem sempre as coisas saem como você quer…
A pior coisa é gente que tem medo de se envolver.
Se alguém vier com este papo, corra, afinal, você não é terapeuta.
Se não quer se envolver, namore uma planta. É mais previsível.
Na vida e no amor, não temos garantias.
E nem todo sexo bom é para namorar.

Nem toda pessoa que te convida para sair é para casar.
Nem todo beijo é para romancear.
Nem todo sexo bom é para descartar. Ou se apaixonar. Ou se culpar.
Enfim… Quem disse que ser adulto é fácil?

Arnaldo Jabor

Anúncios

Grande descoberta

  É incrível quando observamos a nossa volta e descobrimos coisas bestas, mas que são estranhamente reveladoras e assustadoramente esclarecedoras.
  Esses dias, estava eu assistindo uns dos poucos canais que prestam na TV e lá falava sobre bichinhos da nossa querida mãe natureza. O Assunto específico era acasalamento.
  Sim. Acasalamento. O ato de união de uma fêmea e um macho onde procriar para garantir a sobrevivência da espécie é a ordem.
  Prestei bem atenção no comportamento das danadas e percebi que nós mulheres, somos completamente imbecis!
  A passarinha, por exemplo, escolhe o seu parceiro quando ele PROVA que é mais forte, mais bonito, mais esperto e mais saudável para garantir que ela terá filhotes fortes e assim vão garantir a continuação da espécie.
  Isso acontece em praticamente toda a vida selvagem.
  Percebi idiotamente que quem rebola, se torce e contorce e se lasca todinho pra conseguir seu par é o macho e não a fêmea, ela fica lá imponente, observando, e só depois de observar muito e que escolhe o melhor.
  Agora eu pergunto; e nós mulheres? O que fazemos?
  Ficamos nos enfeitando que nem umas retardadas para que nos olhem, buscamos o parceiro perfeito como loucas e imploramos e choramos e pedimos um mínimo de atenção e somos largadas e continuamos a procurar.
  Somos a única espécie de bicho nesse planeta em que é a fêmea que tem que provar que é boa o bastante para ter um parceiro.
  Aí você vem e me diz; “Nãããão! Isso é porque somos seres racionais! Nós amamos! Queremos algo a mais do que só procriar!
 
 
Tá…
 
Sei!